Gabinete de Coordenação da Reconstrução pós calamidades

O Gabinete de Coordenação da Reconstrução Pós-Calamidades (GACOR) é uma unidade orgânica do INGC responsável pela coordenação multissectorial do processo de reassentamento das populações depois da ocorrência de uma calamidade e sempre que for necessário.

As atribuições do GACOR incluem a coordenação das seguintes actividades: 

  • Prover as populações reassentadas de habitação segura;
  • Planeamento do uso de terra nas zonas de reassentamento;
  • Promoção de implantação de infra-estruturas e serviços sociais básicos nos Bairros de Reassentamento;
  • Promoção de desenvolvimento de actividades económicas e segurança alimentar para elevação da auto-estima das populações nos Bairros de Reassentamento;
  • Uso de tecnologias adequadas e seguras na construção das casas e outras infra-estruturas para as vítimas dos desastres.

     

Realizações / Intervenções

O GACOR, desde a sua criação pelo Governo teve inúmeras intervenções em todo o território nacional, apoiando na implantação de novos bairros de reassentamentos, incluindo infra-estruturas sociais tais como escolas e centros de saúde.

A edificação dos bairros tem sido executada pelas famílias beneficiárias e o GACOR presta apoio técnico, parte do material e artesão que lidera o processo de construção como mestre.

O GACOR, até aqui, já apoiou na edificação de cerca de 120 bairros de reassentamentos, nas três regiões do país (Sul, Centro e Norte). As razões que nortearam o surgimento desses bairros diferem de região para região, mas acima de tudo o objectivo é primordial é o de proporcionar melhores condições de habitabilidade as comunidades, com serviços básicos.

  • Por exemplo, no sul do país as razões que estão na génese dos bairros em alusão têm a ver com as inundações e deslocação de algumas famílias que partilhavam o espaço do Parque  Nacional do Limpopo, facto que propiciava o Conflito Homem-Frauna Bravia.
  • Ao nível da região Centro e norte do país a principal razão sãos as inundações que nos últimos anos fustigaram diversas províncias. O Governo achou por bem identificar zonas seguras, para onde foram reassentadas as famílias afectadas.

Tipologia de Casas

A tipologia das casas varia de região para casa, dependendo fundamentalmente do material local para a produção de blocos ou tijolos.

Por exemplo, ao nível da região centro o material que se usa é o tijolo queimado, pois o solo reúne condições para o fabrico desse material cerâmico.

Na zona sul, devido as condições de solo que não favorecem ao fabrico do tijolo queimado, o GACOR disponibiliza cimento para a produção de blocos, actividade exercida pelos beneficiários.

Metodologia de Construção

O projecto arquitectónico das casas é fornecido pelo Instituto Nacional de Gestão de Calamidades e tal como nos referimos, os beneficiários é que constroem as suas próprias casas. O Governo, através do INGC, apoia em materiais de construção e as famílias com auxílio de um artesão disponibilizado pelo INGC participam na edificação de suas residências.

Quadro Resumo

Bairros Implantados  Cerca de 120 em todo o país
Casas Construídas Mais de 10 mil em todo o país, com infra-estruturas sociais 
Tipo de Material 

Tijolo (Zona centro e norte)

Bloco (Zona sul)

Apoio do Governo (INGC)

Projecto arquitectónico

Acompanhamento Técnico

Material de Construção (Cimento; Barrotes; Zinco) 

Construtores  Próprios beneficiários, orientados por um artesão pago pelo Governo (INGC)
Prorrogativas  As famílias beneficiárias têm a prorrogativa de ajustarem as casas (projecto de casa), mediante as suas necessidades